tráfico

PM DE ANDRADINA PRENDE MULHER DE 22 ANOS POR TRÁFICO DE DROGAS NO PEREIRA JORDÃO

As denúncias anônimas realizadas por populares que tem suas identidades preservadas tem auxiliado o trabalho Ostensivo da Polícia Militar de São Paulo cada vez mais.

Nesta ocorrência registrada em Andradina, já havia sido denunciado a movimentação na Rua São sebastião no Bairro Pereira Jordão, como suspeita de tráfico de entorpecentes.

Em patrulhamento com vistas ao referido endereço a equipe avistou a mulher identificada apenas como F. de 22 anos, que, estava na calçada. Ao avistar a viatura portou-se de maneira suspeita, chamando a atenção dos representantes da Lei e da Ordem.

Sem dar tempo de ela ter reação, foi abordada e questionada sobre as denúncias que pesavam contra ela. Tentando se manter calma, ela negou o fato. Ato contínuo ela acabou por entregar-lhes a quantia de R$ 20,00 em espécie, um celular e uma buchinha de plástico aparentando ser maconha.

Segundo a mulher ela seria viciada, porém preferia não guardar a droga em casa. Ela só esqueceu que ninguém engana os policiais militares. Ao fazerem contato com a mãe da mulher ela autorizou a entrada da equipe em sua residencia, enquanto a filha permitiu a entrada dos mesmos em seu quarto. “Foi quando a casa caiu pra ela”.

Durante as diligências, através de diálogo bastante convincente questionaram-na sobre ter entorpecente no local e ela acabou por admitir que tinha maconha no bolso de uma das camisas, indicando qual, lá havia dois pedaços de tijolos de maconha prensados, ato contínuo, entre os tapetes no guarda-roupa, outra embalagem plastica contendo porção do mesmo entorpecente, que pesou cerca de 0,142 kg.

Dentro de um porta jóias, localizaram R$ 200,00 e uma munição calibre 38 intacta. Ainda no bolso da camisa, encontraram mais duas porções do que pareceu ser cocaína. Dentro do forro da cama box, encontraram uma balança de precisão na gaveta do criado mudo localizaram saquinhos plásticos cortados em formato próprio para embalar cocaína e uma faca de mesa, com resquícios de maconha.

Contra fatos não há argumentos, sem meios de se safar do flagrante devido a todas as características predominantes na prática do tráfico, ela acabou por admitir a propriedade dos entorpecentes, alegando ter adquirido de um desconhecido naquela cidade, pelo valor de R$ 200,00 na maconha e R$ 100,00 na cocaína e que eram para consumo próprio, haja vista, ser dependente química, quanto a munição disse tê-la achado e a balança teria comprado no camelô.

Cientificada de seus direitos constitucionais a mulher recebeu voz de prisão em flagrante por Tráfico de Entorpecentes, sendo levada e apresentada na delegacia de Polícia onde foi ratificada, a voz de prisão em flagrante ficando à disposição da justiça.

Por Marilene Gonçalves

imagem meramente ilustrativa retirada da internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Show Buttons
Hide Buttons