ESTUPRO

ASQUEROSO! MÃE DE POUCO MAIS DE 50 ANOS, FICA INDIFERENTE AO PEDIDO DE SOCORRO DA FILHA, VITIMA DE TENTATIVA DE ESTUPRO PRATICADO PELO PADRASTO DE 35 ANOS

Pot volta das 3:40 da madrugada deste domingo, Vítima estava dormindo quando sentiu dor insuportável em seu ânus e gritou por socorro.

Quando se mexeu e virou seu padrasto saiu correndo. Como havia uma lâmpada acesa ela viu nitidamente o homem.

Para tentar enganar a esposa a quem ele conheceu há cerca de seis meses pela internet, ele se deitou no sofá e fingiu estar roncando.

Desesperada a jovem pediu socorro a mãe de quem ela não teve nenhum apoio. A mãe simplesmente disse ter sido um sonho. Ato continuo a vítima se dirigiu a casa de uma irmã, onde foi acolhida com todo cuidado, Sob os cuidado da irmã a jovem acionou a Polícia Militar.

Ao atender o caso o Cabo Ilan e Soldado Aragão, chegaram a fazer cerco na vizinhança para a evitar a fuga do estuprador. Porém ele foi abordado ainda em casa e encaminhado ao Plantão Permanente da Polícia Civil onde a autoridade Policial registrou o fato.

Em diálogo com o conduzido, soube-se haver uma suspeita de que o indivíduo de nacionalidade Marroquina poderia estar sendo procurado pela Polícia Federal, por uso de documento falso, o que não foi conformado.

Por determinação da autoridade policial a vítima foi encaminhada ao Instituto de Criminalística de Araçatuba sendo submetida a exame de corpo de delito.

Segundo informações extra-oficiais, o exame não teria conformado conjunção carnal. Quando foi mencionado o fato de que o suspeito seria liberado, a vítima entrou em desespero.

Foi chocante acompanhar o caso e perceber a indiferença da mãe com relação a atitude do atual amásio. Por várias vezes ela deixou em suspeição a denuncia da filha.

O curioso neste caso é que por várias vezes a mulher reiterou que em poucos meses estaria indo com o amásio conhecer a sogra em seu país de origem.

A liberação do indivíduo chocou a vítima bem como familiares. Restando esclarecer que em casos de abuso sexual tentado, há vários requisitos que precisam ser apurados antes de se prender o acusado, haja vista que a prisão por estupro ou tentativa, é o tipo de prisão sem volta.

Argumenta-se que, nestes casos não oprender seria porque o indivíduo fica marcado para sempre, sem antes ter a comprovação material do crime. Mas, E A VÍTIMA? Como voltar para casa sob o mesmo teto? Como conviver à sombra do medo?

Durante diálogo entre familiares deste caso, o homem já teria sido flagrado observando uma familiar da amasia de 10 anos e familiares teriam ficado com medo de estarem exagerando na suspeita. Após o suposto crime praticado durante a madrugada deste domingo, a família diz que a situação precisará de vigilância redobrada.

Após oitiva das partes e exame de Corpo Delito as partes foram liberadas.

Por Marilene Gonçalves

Foto meramente ilustrativa retirada da intenet

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Show Buttons
Hide Buttons