ESCANDALO

POLÍCIA FEDERAL DEFLAGRA OPERAÇÃO ***# TUDO NOSSO, PARA DESBARATAR QUADRILHA QUE DESVIAVA MILHÕES DA PREFEITURA DE ARAÇATUBA, 14 PRESOS

O Primeiro a ser preso por força de mandado pela
Polícia Federal de Araçatuba nas primeiras horas desta terça-feira (13/08) foi um advogado da cidade de Jundiaí . Ele é suspeito de fazer parte de um esquema que praticava diversos crimes de desvios de recursos públicos por meio da contratação fraudulenta de empresas que prestam serviços para a Prefeitura Municipal de Araçatuba.

O jundiaiense é investigado por estar diretamente ligado através de seus serviços a J.A.P., de 64 anos, vulgo Chinelo, líder da organização criminosa, empresário, sindicalista e presidente de diretório político em Araçatuba. Ele e o filho, que também foi preso, são de Itatiba.

O Esquema de desvios de recursos públicos pode ter causado prejuízos milionários à Prefeitura de Araçatuba/SP, seu desdobramento pode resultar em condenações que podem chegar a 30 anos de reclusão, dentre os objetos apreendidos durante a operação, dinheiro, joias, aparelhos eletrônicos, documentos, todos juntos podem levar a um rombo muito maior do que se presume!

Publicado: 13/08/2019 08h31Última modificação: 13/08/2019 08h31Exibir carrossel de imagens

Dinheiro e joias apreendidos na operação

Para a manutenção do esquema a quadrilha se utilizava de pessoas de sua confiança infiltrados em setores estratégicos da administração pública para por em prática os interesses da quadrilha. De acordo com o que foi apurado, o grupo, formado por empresários e servidores públicos, foi responsável por fraudes em contratos de cerca de pelo menos R$ 15 milhões.

Para a execução da operação, foram necessários cerca de 150 policiais federais, que cumpriram 14 mandados de prisão temporária e 37 de busca e apreensão, em Araçatuba, Clementina, Itatiba, Jundiaí e São Paulo/SP.

A ação simultânea cumpriu buscas e prisões sendo que, em Araçatuba, foram em pelo menos quatro Secretarias da Prefeitura, na sede do diretório político coordenado pelo investigado Chinelo apontado como líder da organização criminosa, além de vários outros endereços comerciais e residenciais relacionados às empresas e aos investigados. Em Itatiba/SP, na sede de um sindicato presidido pelo filho de Chinelo, estando pai e filho com prisão decretada, também foram apreendidos equipamentos e documentos .

O início das investigações, se deu há cerca de dois anos, após denúncia da prática de diversos crimes de desvios de recursos públicos, por meio de contratação fraudulenta de empresas prestadoras de serviços para a prefeitura.

Durante a apuração destas denúncias, a PF chegou até Chinelo suposto mentor de um engenhoso esquema de desvio de recursos, onde usava empresas em nome de “laranjas”, e também de familiares, com o objetivo de fraudar licitações e celebrar contratos de prestação de serviços com o município de Araçatuba.

Além da utilização das empresas, pelo menos uma organização social foi criada pelo líder do grupo e também foi utilizada para os desvios de recursos públicos. Servidores públicos foram indicados em setores estratégicos, de interesse da organização criminosa, para viabilizar as contratações e fraudes, sem levantar suspeitas ou questionamentos sobre eventuais superfaturamentos. 

As investigações demonstraram que, nos últimos dois anos, as empresas investigadas aditaram ou celebraram novos contratos suspeitos com a prefeitura, nas áreas de educação e assistência social que superaram, até o momento, a cifra de quinze milhões de reais. As investigações prosseguirão e a estimativa da PF é que esse valor possa ser muito maior.

A pedido da PF, a Justiça Federal decretou, além das buscas e prisões, o afastamento cautelar de servidores públicos municipais envolvidos, entre outras medidas cautelares, objetivando cessar a ação da organização criminosa e garantir a restituição dos valores desviados para o município de Araçatuba/SP.

Os presos serão indiciados por vários crimes, dentre eles: corrupção ativa e passiva, falsificação de documentos (públicos e privados), peculato, associação criminosa, fraudes em licitações, dentre outros. De acordo com suas condutas, em caso de condenação, estarão sujeitos a penas máximas de até a 30 anos de reclusão.

Todas as apreensões realizadas serão encaminhadas para a sede da PF em Araçatuba/SP, assim como os presos, que após os procedimentos relativos às oitivas e indiciamentos serão encaminhados para cadeias da região onde permanecerão custodiados à disposição da Justiça Federal.

Confira abaixo os nomes dos 13 presos:

Alexandre Candido Alves – diretor da Vigilância Sanitária e Epidemiológica de Araçatuba

Ahmad Nazih Kamar – advogado

​​Daiana Francielle Gomes – Testoureira do IVVH (Instituto de Valorização da Vida Humana)​

Daniela Amanda Cardoso – sócia da empresa Bolívia​

​Eloi Lourenço Filho – diretor de gestão do IVVH (Instituto de Valorização da Vida Humana

Emerson Cardoso – genro de Chinelo – Sócio da Sen Prest. Serviços

Gilson Batista Martinez – contador

​Igor Tiago Pereira – proprietário da ​Vipig Transporte e Locações Ltda.​
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Itatiba​ (SP) e da seccional de São Paulo da CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros

José Avelino Pereira​, vulgo “Chinelo” – sindicalista, pecuarista, presidente do PSB em Araçatuba, apontado como dono das empresas (em nome de terceiros) Bolívia, Sen. Prestação de Serviços, Vipig, IVVH, Qualitrabalho, dentre outras

​José Claudio Ferreira, vulgo “Zé Pera”​ – diretor de Departamento na Secretaria Municipal de Administração

​Thiago Henrique Braz Mendes​ – assessor Executivo da Secretaria Municipal de Governo

Wanderson Alves dos Santos – advogado

Silvia Aparecida Teixeira – diretora de Departamento de Gestão do Sistema Municipal de Assistência Social

 *** O nome da Operação “#TudoNosso” faz alusão ao termo frequentemente utilizado pelos investigados, inclusive em redes sociais, nas ocasiões em que obtinham sucesso nas diversas fraudes cometidas no âmbito da Prefeitura Municipal de Araçatuba/SP.

Fontes: Comunicação Social da Polícia Federal em Araçatuba/SP, Jornal de Jundiaí Regional, SBT InteriOR

Comunicado do Prefeito de Araçatuba

O prefeito Dilador Borges decidiu na tarde dessa terça-feira (13/8) exonerar todos os servidores investigados na operação realizada pela Policia Federal. Ao todo são quatro funcionários que atuavam em secretarias distintas, sendo, Assistência Social, Governo, Administração e Saúde.
O prefeito também aceitou o pedido de exoneração feito pela secretária de Assistência Social, Maria Cristina Domingues, que tomou a decisão por acreditar que, estando afastada do cargo, poderá contribuir melhor com as elucidações dos fatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Show Buttons
Hide Buttons