Plantão Notícias

Rota mata cinco homens ligados ao PCC com 100 quilos de cocaína em SP

Policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) mataram cinco homens durante um tiroteio na Rodovia dos Imigrantes, na região do ABC paulista, na noite de sábado, 21. De acordo com a polícia, o grupo transportava mais de 100 quilos de pasta de cocaína da Baixada Santista para a capital, e a droga seria da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Com os suspeitos, foram apreendidos também quatro pistolas e um fuzil.

Segundo informações da polícia, a Rota recebeu uma denúncia anônima informando sobre três veículos que passariam pela Rodovia dos Imigrantes transportando a cocaína. Os carros eram uma picape Strada, uma Montana e um Astra. Os policiais montaram uma operação para cercar e prender os suspeitos. Por volta das 23h de sábado, os veículos – as picapes transportando a droga e o Astra fazendo a escolta – passaram pelas viaturas e teve início a perseguição pela rodovia.

Na altura do km 37, a Strada foi cercada pelos policiais da Rota. Segundo eles, um homem armado com uma pistola calibre 380 desceu e começou a atirar. Na troca de tiros, acabou atingido e morreu em um hospital próximo. Na caçamba do veículo, os PMs encontraram 50 tabletes de cocaína.

No km 35, a Montana foi cercada pela PM. Na versão deles, o motorista também desceu atirando e acabou baleado. Ele portava uma pistola automática e morreu no local. No veículo foram encontrados mais 50 tabletes de cocaína.

A perseguição se estendeu por mais alguns quilômetros da Rodovia dos Imigrantes. O último carro, um Astra ocupado por três suspeitos, foi cercado na altura do km 21,5. A PM diz que eles pararam no acostamento, desceram e começaram a atirar. Um deles estava com um fuzil calibre 556, e os demais portavam pistolas automáticas e carregadores.

Os três foram atingidos e levados para um hospital da região, mas também não resistiram.

Investigação. Peritos do Instituto de Criminalística (IC) constataram que os suspeitos transportavam cerca de 105 quilos de cocaína pura.

Os três carros também foram periciados. Nenhum deles apresenta queixa de roubo ou furto e, aparentemente, estão com a documentação em ordem.

Investigação.Peritos do Instituto de Criminalística (IC) constataram que os suspeitos transportavam cerca de 105 quilos de cocaína pura.

Os três carros também foram periciados. Nenhum deles apresenta queixa de roubo ou furto e, aparentemente, estão com a documentação em ordem.

Os veículos estão registrados nos nomes dos suspeitos mortos e de seus familiares. Segundo a polícia, eles ficarão apreendidos no 3.º Distrito Policial de São Bernardo do Campo, onde o boletim de ocorrência foi registrado.

Os peritos verificaram que os mortos receberam de dois a três tiros cada um. Todos os disparos foram a média distância e não há sinais aparentes de execução. Todas as armas dos suspeitos e dos PMs da Rota que participaram do tiroteio foram apreendidas.

A delegada Carolina Nascimento concluiu que a versão dos policiais é verídica, ou seja, que eles reagiram aos tiros disparados pelos suspeitos e agiram em legítima defesa.

“Considero que suas condutas se amoldaram, em tese, aos crimes de tráfico de drogas, organização criminosa e porte ilegal de armas de fogo de uso permitido e restrito”, disse a delegada na ocorrência sobre os suspeitos. “Eles foram localizados pela Polícia Militar transportando grande quantidade de substância entorpecente, demonstrando, em decorrência da ação, uma divisão de tarefas visando um fim comum, neste caso, a obtenção de possível vantagem econômica.”

Outros crimes. Os suspeitos mortos foram identificados como Marcos Roberto Teixeira da Silva, de 44 anos, Adriano Barbosa Silva, de 29, Josenildo Manoel de Oliveira Filho, de 30, Jailton dos Santos, de 32, e Ygor Uchoa de Jesus, de 19 – o único sem antecedentes criminais. Os demais já tinham sido presos anteriormente por tráfico de drogas, roubo, uso de documento falso e formação de quadrilha. A polícia informou que vai investigar quem são os bandidos da capital que receberiam a cocaína. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Share On Facebook
Share On Google Plus
Contact us

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Show Buttons
Hide Buttons